Cuidados a ter com os Animais Geriátricos
1 Agosto, 2018
Parvovirose canina – Doenças Infecto-contagiosas em Animais
1 Agosto, 2018
    • O que é uma anestesia?

      Anestesia é a perda se sensibilidade. Quando falamos em anestesia, normalmente referimo-nos à anestesia geral.

      A anastesia indica-nos um estado de inconsciência produzido por drogas em que a ausência de dor e o relaxamento muscular estão presentes.

      Todos os anestésicos têm os seus riscos e cada Animal de Estimação reage de maneira diferente aos fármacos administrados. Nos últimos anos houve grandes avanços quanto á eficácia e á segurança dos agentes anestésicos. É usual o preenchimento de autorizações anestésicas por parte dos proprietários, não porque tememos o pior, mas simplesmente para garantir que os donos tomam conhecimento dos riscos envolvidos numa anestesia geral. Pode estar seguro quanto é monitorização do seu animal durante todo o procedimento e sua recuperação.

      O que acontece quando entrego o meu animal na Clínica Veterinária?

      Após a entrega do seu Animal de Estimação, ele vai ser avaliado correctamente de modo a evitar situações que ponham em causa um bom procedimento anestésico.
      É importante cumprir as 12 horas de jejum antes de qualquer anestesia. Como parte da examinação pré-anestésica, é dada medicação analgésica e sedativa. Esta combinação permite que o seu animal seja examinado sem dor e sem stress, no entanto permanece consciente do meio que o rodeia. A analgesia garante que o seu animal recupera do procedimento cirúrgico totalmente confortável e sem dor.

      Que tipo de anestesia leva o meu animal?

      Actualmente existem disponíveis diferentes combinações anestésicas. Após a examinação e a pré-medicação, o animal é induzido com anestesia geral envolvendo a administração endovenosa, a qual deve ser dada através do soro. Após a perda de consciência o seu animal é deitado lateralmente e é feita uma entubação endotraqueal através da laringe. O tubo é então acoplado á máquina anestésica e a anestesia entra numa fase de manutenção. Aqui, utilizamos anestesia gasosa com isoflurano e oxigénio. Este protocolo permite que enquanto inconsciente, o seu animal receba oxigénio suficiente para a oxigenação das células corporais. Por outro lado torna mais fácil o doseamento adequado da quantidade de anestesia administrada. Os agentes voláteis têm um período de acção muito mais curto que os agentes injectáveis, permitindo o controlo muito mais preciso da anestesia.

      O MEU ANIMAL JÁ É GERIÁTRICO. SERÁ QUE ELE AGUENTA UMA ANESTESIA?

      Até há muito pouco tempo atrás, a maioria dos agentes anestésicos comprometiam a oxigenação cardíaca e cerebral. Actualmente utilizamos anestésicos que reduzem drasticamente esses riscos, não existindo razão para não anestesiar um animal idoso. O conceito de anestesia balanceada permite que o seu animal recupere a consciência imediatamente após sair da mesa de cirurgia.

      Pode um Animal de Estimação não aguentar um choque anestésico?

      Tratamento para o choque anestésico é protocolado em todos os procedimentos anestésicos. Por essa razão os animais são todos colocados a soro antes, durante e após a anestesia. Durante este período o seu animal é monitorizado cuidadosamente, em especial a frequência respiratória e cardíaca.

      Na eventualidade de haver algumas questões relacionadas com uma anestesia que o preocupem, não hesite em contactar-nos.

      AUTOR DESTE ARTIGO

      Bruno Silva, Veterinário

      Médico Veterinário Bruno Silva
      Licenciado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) em 2003.

      Realizou estágio e incorporou o corpo clínico do Hospital Veterinário do Algarve entre 2003 e 2005.

      Participa em congressos e pós-graduações em diversas áreas da medicina veterinária, tendo especial interesse pela área de cirurgia ortopédica e gestão de clínicas veterinárias. Em 2005 fundou a Clínica Veterinária de Vilamoura, da qual é director clínico.

      Em 2011 e 2012, realizou o título de pós-gaduação
      “Especialista em Traumatologia e Cirurgia Ortopédica em Animais de Companhia” pela Faculdade de Veterinária da Universidade Complutense de Madrid

      http://www.clinicaveterinaria.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *