Tumores mamários em cães
2 Agosto, 2018
Mau hálito (halitose) em cães e gatos
2 Agosto, 2018
      • A idade ideal para se esterilizar, não existe.

        Há várias opiniões sobre esta questão e o melhor será sempre consultar o médico veterinário assistente, e basear a sua decisão em toda a informação fornecida. De um modo geral, se a esterilização for realizada por volta dos 6 meses, nas raças pequenas/ médias e um pouco mais tarde, nas raças grandes/ gigantes os animais serão menos propensos à obesidade e não se desenvolvem os comportamentos indesejáveis, tais como lutas, fuga e eventuais atropelamentos ou traumatismos devido a fugas.

        Nas fêmeas, se a esterilização for realizada antes do primeiro cio, a probabilidade de desenvolvimento de tumores mamários, bastante comuns, é praticamente nula.

        Pode-se esterilizar um cão adulto?

        Pode.
        Um cão adulto, sexualmente maturo, adquiriu já determinados comportamentos, que a esterilização poderá não eliminar por completo. No entanto, as fêmeas deixam de ter cio, gravidezes  indesejadas e/ou infecções uterinas. Nos machos, os eventuais problemas de próstata são quase todos evitados.

        Veja o nosso serviço de cirurgia geral

        Quais os perigos da esterilização?

        Não existem perigos em esterilizar um animal. O risco anestésico é o mesmo para qualquer outra cirurgia, e com os equipamentos de monitorização existentes, torna-se quase nulo.

        O eventual aumento de peso, é facilmente evitado com o controlo da quantidade de alimento, bem como com os alimentos já existentes para esse efeito.

        Quais as vantagens médicas da esterilização?

        • Nos machos: a diminuição da incidência dos problemas de próstata: diminuição da agressividade associada a comportamentos reprodutivos/territoriais; diminuição de traumatismos associados a atropelamentos e lutas.
        • Nas fêmeas, as principais vantagens são, a não existência de gestações indesejadas, infecções uterinas e a diminuição drástica do desenvolvimento de tumores mamários.
        • Em ambos, sempre que o animal seja portador de doença genética, transmissível à descendência

        Em que situações se aconselha a esterilização?

        Sempre, excepto em animais reprodutores, devidamente testados e livres de doenças genéticas transmissíveis à descendência.

        Quais as principais objecções encontradas para a não esterilização de um animal de estimação?

        A impressionante falta de informação dos donos, e a crença em mitos antigos totalmente desactualizados, de que é exemplo comum, “é bom para a saúde que as cadelas tenham pelo menos uma ninhada”.

        Porque é que acha que existe mais resistência à esterilização de cães por parte dos seus donos masculinos?

        Por um lado e uma vez mais a falta de informação/conhecimento relativamente aos inúmeros benefícios. Por outro lado, a esterilização do animal (macho) é interpretada como uma ameaça à masculinidade do próprio dono.

        AUTOR DESTE ARTIGO

        Rui Lima

        Médico Veterinário licenciado pela Universidade de Trás-os Montes e Alto Douro (UTAD) em 2002.

        Fez estágio curricular no Hospital Veterinário do Porto

        Desde 2005 que incorpora o corpo clínico da Clínica Veterinária de Vilamoura.

        É responsável pelas àreas de cirurgia geral, Endocrinologia e Neurologia veterinária.

        Frequentador assíduo de congressos e pós-graduações nacionais e internacionais.

        http://www.clinicaveterinaria.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *