A Importância das Vacinas Caninas
21 Dezembro, 2018

Qualquer tutor de um gato tem a noção de que muitas vezes os nossos patudos estão a ficar mais redondinhos. Mas qual o nível que nos deixará preocupados? E seremos capazes de reparar nisso?

 

Os gatos obesos e com excesso de peso têm um risco mais elevado de desenvolver doenças graves, sendo as mais comuns doenças hepáticas e diabetes, mas também problemas nas articulações, problemas urinários, doenças de pele e até mesmo doenças oncológicas. O maior grupo de risco são os gatos com excesso de peso, machos, adultos e esterilizados.

 

A maioria das pessoas acredita que é da sua responsabilidade saber todas as necessidades dietéticas dos seus animais. No entanto, alguns estudos demonstram que apenas 55% dos tutores recorrem a ajuda profissional para saber qual o peso ideal do seu animal. Ao que parece muitos dos tutores parecem achar suficiente o senso comum no que diz respeito à condição corporal do seu animal. Mas quão fiáveis poderemos ser quando estamos a avaliar a nossa bolinha de pelo? Na verdade, ao pensarmos que damos o nosso melhor por eles acabamos por ter uma visão distorcida. Como vamos conseguir reduzir a comida e guloseimas quando ele tem aquele olhar a implorar? Ter um animal de estimação com excesso de peso não é um problema só deles, pois são os tutores que os alimentam.

 

Um estudo em Portugal observou 70 gatos e os seus tutores numa ida ao veterinário e comparou uma avaliação profissional com a opinião dos tutores. Surpreendentemente, apenas 27% dos tutores classificou a condição corporal do seu animal de acordo com a opinião dos veterinários. Está surpreendido? Talvez não. Numa escala de 1 a 9, sendo 1 demasiado magro, 5 o peso ideal (normal) e 9 estado obeso, 62% dos tutores de gatos classificaram o seu patudo abaixo da opinião profissional, com base na mesma escala. Destes, 89% eram tutores de gatos obesos ou com excessos de peso e subestimavam claramente o peso real do seu gato.

 

Quase todos (94%) concordamos que é a nossa responsabilidade, enquanto tutores de saber quais as necessidades nutricionais do nosso animal de estimação. Então porque cometemos tantos erros ao permitir que estes nossos amigos acabem no final da escala? Tem tudo a ver com uma questão de perceção e com o não sermos capazes de resistir àqueles olhares a implorar por mais um docinho! A falta de exercício também pode pesar (literalmente) na questão do excesso de peso.

Da próxima vez que o veterinário ou algum profissional na clínica lhe disser que o seu gato está “cheiinho”, acredite e tome precauções! Estes só querem evitar que volte passado um tempo com o seu gato com alguma condição crónica provocada pelo excesso de peso!

 

FONTE: petable

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *