Vai viajar e não sabe onde deixar o seu gatinho? Não se preocupe, nós ajudamos.
29 Janeiro, 2020
Oftalmologista Veterinária
14 Fevereiro, 2020

ACUPUNCTURA VETERINÁRIA

 

A Acupunctura Veterinária é uma modalidade terapêutica cada vez mais utilizada em Portugal. A abordagem utilizada pela nossa clínica é uma abordagem ocidental, baseada em conceitos científicos, no âmbito da neurofisiologia. A acupunctura pode ser definida como a estimulação de um ponto específico( ou vários) cuja resposta fisiológica é a base do tratamento.

Algumas destas respostas incluem a libertação de opióides endógenos, estimulação do sistema imune, e a nível local, libertação de factores de crescimento.

Os pontos de acupunctura podem ser estimulados através de agulhas “secas” e o seu efeito pode ser maximizado através do uso de electro acupunctura. A escolha do estímulo é sempre feita para cada caso, individualmente, pois existem vários factores que podem condicionar o uso de electro-acupunctura.

A acupuntura pode ajudar os nossos pacientes tendo a sua maior relevância nestes 3 campos:

  • Controlo da dor
  • Medicina geriátrica
  • Medicina desportiva e Cães trabalhadores

A inserção de agulhas nos pontos de acupunctura mimetiza um trauma agudo, enviando uma mensagem ao sistema nervoso que não só compete com a dor já estabelecida como também estimula o sistema nervoso a responder com hormonas anti-inflamatórias( como a ACTH, betaendorfina e ocitocina) que permitem um maneio da dor sem recorrer a anti-inflamatórios ou, como na maioria dos casos, a diminuir as doses dadas dos mesmos.

Pensa-se que a capacidade de resposta dos animais é semelhante à dos seres humanos, havendo por isso 90% de probabilidade do paciente responder à acupunctura.

A acupunctura veterinária é um método pouco invasivo e que deve ser considerado como mais uma opção, no controlo do conforto e qualidade de vida, que podemos dar aos nossos animais.

Algumas condições em que podemos recorrer à acupunctura:

  •  Artrite
  • Osteoartrite( doença articular crónica)
  • Trauma geral (musculos, tendões, ligamentos, feridas de pele)
  • Pós-cirurgia
  • Displasia da anca
  • Hérnias discais e compressões radiculares
  • Incontinência urinária
  • Doenças neuromusculares (que afectam o cérebro e a espinal medula)
  • Sindrome lombo-sagrada (muito comum em animais geriátricos)

CONTROLO DE DOR

O controlo da dor assume, nos nossos dias uma importância extrema, porque os nossos companheiros fazem parte da nossa família! Cada vez mais queremos, acima de tudo, que os anos que passam conosco sejam de prazer, alegria e conforto! Os pacientes geriátricos precisam de mais atenção porque se vão adaptando às dores crónicas, e em muitos casos, os donos nem se apercebem do que eles sentem. Um exemplo clássico é o Labrador que antes de subir as escadas hesita uns minutos, como que “a ganhar coragem”, ou o felino que mia quando vai à caixa de areia e por vezes até pode começar a defecar em sítios da casa inapropriados.

Há muitas apresentações que a dor pode assumir e nem sempre estamos preparados para a detectar facilmente. Traga o seu melhor amigo para uma consulta de avaliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Language »